Porque o meu seguro de carro tem o preço diferente do meu amigo?

O seguro auto é um item fundamental a ser pensado e cotado quando se adquire um carro.

Com ele, seu veículo está protegido de uma série de imprevistos, os chamados “sinistros” na linguagem do seguro.





O valor do seguro de carro é calculado de acordo com o seu índice de sinistralidade.

Ao cotar seu seguro de automóvel, a seguradora elabora um questionário para avaliar alguns fatores de risco e analisar qual é a possibilidade que o veículo tem de ser roubado ou sofrer qualquer tipo de acidente. Esse é o índice de sinistralidade.

A partir dessas informações, a companhia seguradora faz a projeção de quanto terá de pagar de indenização e define quanto vai cobrar do segurado.





No entanto, temos 3 informações que são de extrema importância e que são elas que compõem grande parte do valor do seguro:


1- Modelo do carro


Um dos primeiros aspectos considerados para o cálculo de um seguro é o tipo de carro que será protegido. Apesar do que você pode pensar, porém, a característica mais importante não é o preço do automóvel. Ela é considerada, mas, na verdade, as seguradoras que oferecem seguro de veículos verificam com maior cuidado o índice de roubo de veículos daquele modelo. Quanto maior esse índice, maior o custo (prêmio) do seguro.


É por isso, que, por vezes, um carro mais caro pode ter seguro muito semelhante ao de um automóvel considerado popular. Afinal, carros populares podem ter alto índice de roubo, e um veículo de luxo não.

Carros mais antigos também costumam ter seguro mais custoso, por causa dos seus riscos e peças. Ou seja, eles são mais sujeitos a sinistros mecânicos e elétricos. Ao mesmo tempo, costuma ser difícil encontrar peças de reposição para estes automotores.


2- Perfil do segurado e uso


Para a seguradora que oferece seguro de veículo, um dos pontos mais importantes da cotação do seguro é o perfil do motorista. É por meio dessas informações que a empresa verifica o quanto o indivíduo pode se envolver em problemas, e as chances de que o pagamento da indenização seja necessário.


Quanto mais velho, e quanto maior o tempo de habilitação do motorista, menor pode ser o seu seguro. Isso porque, considera-se que estes indivíduos estão menos sujeitos a acidentes.

O perfil dos motoristas secundários do carro também é considerado. Os motoristas secundários são aqueles que dirigem o veículo de modo frequente, mas não tanto quanto o condutor principal.


Quando um dos motoristas é menos experiente, essa característica afeta a cotação da proteção. Se o segurado tem filhos com 18 anos ou mais, o seguro novamente muda de valor. Afinal, a seguradora considera que este indivíduo poderá dirigir o veículo em breve.

Indivíduos casados também pagam menos pela proteção, assim como as mulheres. Essa mudança ocorre porque as seguradoras consideram estes motoristas como mais prudentes.


Outros pontos que são importantes é como o condutor utiliza o veiculo:

- como é a utilização no dia a dia (uber, lazer, a trabalho...);

- se o carro fica guardado em garagem estacionamentos;

- km média por mês;

- entre outras.


3- Local de risco


Outro ponto analisado pela seguradora é o local de residência do segurado. Quando a região é considerada de alto risco, para roubos e acidentes, o preço do seguro auto sobe.

Agora, quando a região tem pouco registro desses problemas, a seguradora entende que não vai precisar pagar indenização tão rapidamente. Pelo menos não provavelmente. Então, o seguro veicular será mais barato na hora de simular seguro auto.


O local de tráfego do carro também é considerado. A regra é a mesma do caso anterior: quanto maior o risco da região, maior o custo da proteção.





Além desses 3 pontos, as coberturas contratadas também irão influenciar no preço, no entanto elas apresentam um peso menor mas não menos importante:


- Valor de coberturas para terceiros (danos materiais, corporais e morais);

- Acidentes pessoais por passageiros (APP);

- Assistência 24h;

- Carro reserva;

- e outras variações que cada seguradora oferece.


Mostramos os principais pontos que irão formar o preço final do seguro dos eu carro.

Uma coisa que tem que ficar bem clara é que os 3 principais pontos: Modelo do carro, perfil e local de risco, são informações que não podemos omitir ou traçar com informações diferentes da nossa realidade, pois é comum de pessoas quererem buscar preços mais baixos e mudar as informações. Essa conduta pode fazer você ter um seguro "fake", pois no caso de uma necessidade de utilizar o seguro a seguradora irá recusar, devido ao enquadramento errado.


Já as coberturas complementares elas podem e devem ser contratadas de acordo com suas necessidades.


Por tudo isso que apresentamos, é sempre importante estar acompanhando de um bom corretor de seguros, que irá entender suas necessidades e te apresentar a melhor proposta, enquadrando o risco corretamente e com as melhores coberturas.



29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo