Será que o seguro por minuto é a inovação para o seguimento de auto?






O que é o seguro por minuto? Ele já está sendo comercializado?

Essas são dúvidas que muitos dos nossos clientes tem nos feitos.

Tal pergunta tem fundamento, pois quando se fala em inovação no tradicional mercado de Seguros, o assunto que mais se encontra é sobre essa nova opção de contratação do seguro auto.

Iremos te contar um pouco sobre essa contratação e esclarecer algumas coisas que temos ouvidos nos congressos e das seguradoras.


Como funciona?


Os serviços que algumas startups têm comercializados são completos: cobre colisões, furto, roubo, perda total e parcial. A proteção tem franquia que varia entre 4% a 8% do valor do automóvel.

O funcionamento se assemelha ao de um celular pré-pago, com limite mínimo para funcionar. O crédito não tem prazo de validade e fica depositado no aplicativo da startup, em uma espécie de carteira digital. Depois de gastá-lo, o usuário terá de fazer recargas com valor mínimo.

Se o serviço for “ligado”, o crédito vai sendo consumido. Enquanto o carro está na garagem de casa ou do prédio, caso o usuário confie na segurança dos locais, basta desligar a proteção para que o uso dos créditos seja suspenso.

O preço do minuto vai estar ligado ao perfil do segurado e o valor de mercado do carro. Para um veículo popular, que custa 30 mil reais, a proteção custa menos de 0,5 centavo por minuto. Ou seja, um percurso de uma hora irá custar cerca de 30 centavos.

Ou seja, você tem o controle de quando ter seu automóvel segurado.


Comercialização


A Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão que regulariza toda a cadeia do Seguro no Brasil, regulamentou, no dia 29 de agosto, os seguros personalizados, com contratos reduzidos (por meses, dias, horas, minutos) e que são acionados apenas durante o uso, chamados seguro pay per use.

No entanto, a comercialização desse tipo de produto ainda está sendo feita somente pelas startups que lançaram, as seguradoras, órgão regulamentados, ainda estão desenvolvendo seus produtos e estudando a viabilidade do mesmo.

O ponto que devemos ter atenção é se as startups que estão comercializando, não só esse novo produto, mas todos os outros ligados ao seguro, são autorizadas pela Susep para realizar a venda dos mesmos. Isso pode trazer grandes riscos aos consumidores.


Principais diferenças do seguro tradicional x por minuto


Mas o que muda no seguro por minuto para o seguro tradicional do automóvel?

A principal mudança é a vigência do seguro, que hoje é anual e passa a poder ser por minuto.

O preço realmente vai ter uma diferença, pois contratamos o seguro para estar coberta a qualquer momento e lugar. Já com o pay per use, vamos ter o controle de quando iremos ter nosso carro segurado, considerando isso, só vamos pagar quando quisermos, gerando assim a economia que tanto se fala.

Comparando os produtos comercializados até agora, se você pegar o preço de um seguro tradicional e transformar o preço pago anual para minuto, os preços são muitos próximos.


Conclusão


Como vimos acima, temos pós e contras a nova forma de ter seu carro seguro. No entanto, temos que tomar muitos cuidados e nos lembrar do principal princípio do seguro, que é garantir a segurança e tranquilidade contra risco que acontecem de forma inesperadas. Não sabemos ao certo onde e quando as coisas vão acontecer.

Na hora da contratação, é importante ter a certeza de que a seguradora é credenciada pela Susep. Apenas as empresas autorizadas pelo órgão podem comercializar seguros no Brasil.

Também vale a pena conversar com um especialista, seja ele da própria seguradora por minuto, ou um corretor de confiança. Converse sempre com um especialista, autorizado, e tenha a certeza de avaliar todos os pontos.

Se mesmo assim não conseguimos explicar todos os pontos, entre em contato com a gente ou envie suas dúvidas.

#corretoradeseguros

#seguroauto

#segurodecarro

#cherokeeseguros

50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo